"O Grito", de Munch

01/03/2016 17:32

Das profundezas clamo (קָרָא, karah, “GRITO”) a ti, Senhor. Escuta, Senhor, a minha voz; estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas. Se observares, Senhor, iniquidades, quem, Senhor, subsistirá?” (Sl 130.1-2).

  • Davi estava sofrendo muito. Apesar de rei, estava angustiado. Tudo ia de mal a pior em sua vida. Tragédias familiares, traições familiares, doenças, guerras. Gritou no salmo 69:

“Salva-me, ó Deus, porque as águas me sobem até à alma. Estou atolado em profundo lamaçal, que não dá pé; estou nas profundezas das águas, e a corrente me submerge. Estou cansado de clamar, secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de tanto esperar por meu Deus” (Sl 69.1-2).

  • Os maiores problemas eram os internos, e não os externos.

“Puseste-me na mais profunda cova, nos lugares tenebrosos, nos abismos. Sobre mim pesa a tua ira; tu me abates com todas as tuas ondas... Por que rejeitas, Senhor, a minha alma e ocultas de mim o rosto?... sob o peso dos teus terrores, estou desorientado. Por sobre mim passaram as tuas iras, os teus terrores deram cabo de mim. Eles me rodeiam como água, de contínuo; a um tempo me circundam. Para longe de mim afastaste amigo e companheiro; os meus conhecidos são trevas” (Sl 88.1-2,14,15b-18).

  • Davi cria que Deus o abandonara por causa de seus pecados.
  • Davi também se culpava pelo escândalo que causara em Israel quando seu adultério foi descoberto. A vergonha o angustiava.

 

Saindo das profundezas da angústia

“Na minha angústia, clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do abismo, gritei, e tu me ouviste a voz” (Jn 2.2).

Para ver a agenda geral em tamanho maior, clique aqui

  

Nossa história através de nossos informativos

 

Agenda

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Baixe agora o nosso aplicativo